Avançar para o conteúdo

Como investir em criptomoedas na Bolsa de Valores?

  • por
0
(0)

Para entender como investir em criptomoedas na Bolsa de Valores, primeiramente é necessário aprender alguns conceitos por trás destas moedas e esclarecer algumas questões pertinentes à elas.

O primeiro passo é entender o que são as criptomoedas. As criptomoedas são ativos comercializados a partir da criptografia. Esta tecnologia por trás do comércio dessa moeda virtual é chamada de Blockchain, que basicamente, consiste em um banco de dados onde ficam armazenados todos os detalhes sobre as transações que envolvem esses criptoativos.

Estas moedas surgiram para se tornarem um “dinheiro virtual descentralizado”. Em outras palavras, sem qualquer ligação com instituições financeiras e o Banco Central. E a popularização desses ativos está relacionada com a capacidade das transações acontecerem de forma instantânea, anônima e sem intermediários.

Qual o valor mínimo para investir em criptomoedas?

Esta é, sem sombra de dúvidas, a maior dúvida em relação à investimentos em criptomoedas. Mas, assim como qualquer outro investimento, não há um limite mínimo específico para realizar investimentos. No caso do investimento direto, via exchanges, algumas podem determinar valores mínimos, entretanto, não há uma regra.

Em investimentos em criptomoedas por meio de ETF (sigla em inglês para Exchange Trade Funds. São Fundos de Investimento que captam recursos para aplicar em carteiras que seguem algum índice como referência, como, por exemplo: o Ibovespa, S&P 500, Small – Indice das Small Caps -, entre outras. Em termos mais simples, é uma forma de ter acesso a uma carteira diversificada realizando o aporte em um único código de negociação), o valor mínimo pode variar de acordo com o preço e negociação deste ativo. Por exemplo, durante o primeiro semestre de 2021 o valor mínimo para investir no HASH11 ficou na faixa entre R$35 e R$55.

Como investir em criptomoedas
Bitcoin

Passo a passo em como investir em criptomoedas

Passo 1: Abrir uma conta em uma corretora de valores.

Este é o primeiro passo para investir no EFT de criptomoedas na Bolsa de Valores. É importante ressaltar que você deve escolher uma corretora de valores que permita investimentos nesses ativos.

Um ponto positivo na hora de escolher sua instituição para começar a investir em criptomoedas, é verificar se esta tem uma experiência positiva em investimentos, seja em relação à facilidade para investir ou até mesmo em relação aos custos para realizar tais investimentos.

Passo 2: Envie dinheiro para a sua conta

Após sua conta estar aberta, chegou a hora de enviar dinheiro para que você tenha a possibilidade de escolher os ativos que deseja para iniciar o investimento do seu capital. Atualmente, é possível realizar este processo de diversas formas, desde transferências bancárias, via DOC ou TED, até mesmo, algumas instituições estão aceitando PIX, o que contribui para a agilidade do processo.

Passo 3: Escolha o ETF de criptomoedas

Após completar os dois primeiros passos com sucesso, chegou a hora de acessar a plataforma da sua corretora de valores, escolher o ativo do seu interesse e definir quantos ativos você irá adquirir.

Riscos de investir diretamente em criptomoedas

Pode até parecer “simples” o processo de investir diretamente em criptomoedas, porém é necessário conhecer e aceitar os riscos que podem vir com este investimento. Confira agora os 3 maiores riscos de investimento direto em criptomoedas:

1- Investimento não regulamentado por um Banco Central

Por ser uma moeda não regulamentada, ou seja, sem nenhum vínculo com qualquer instituição financeira ou Banco Central, você, investidor, corre o risco de perder seu investimento, caso os detentores do seu capital decidam “sumir”. No Brasil, as criptomoedas ainda não são regulamentadas por nenhum órgão, assim, o risco fica todo para os detentores.

2- Possibilidade de bolha financeira

Mesmo quem nunca pensou em investir em criptomoedas, pelo menos uma vez na vida já ouviu falar em Bitcoin, a criptomoeda mais famosa atualmente. E porque é famosa? Porque vários investidores viram potencial e começaram a investir em apenas um ativo. Com o crescimento da procura por uma moeda específica, como o Bitcoin, pode dar início a uma Bolha financeira, e, caso estoure, todos, senão a maioria destes investidores poderão sofrer prejuízos.

3- Falta de lastro

O último, e talvez mais importante dos riscos, é sobre a segurança das negociações diretas das criptomoedas, pois não há como comprovar o real valor deste ativo. Portanto, ao contar com a regulamentação de um ETF o investidor terá um histórico detalhado sobre as negociações envolvendo a criptomoeda.

Além disso, é preciso lembrar que o mercado de criptoativos é altamente volátil. Portanto, é indispensável que você tenha uma carteira diversificada respeitando seu perfil de risco e considerando investir em outros ETFs, títulos de Renda Fixa, ações e também Fundos Imobiliários.

Por que é importante diversificar na hora de investir em criptomoedas?

Saber diversificar seu investimento em criptoativos é extremamente importante, uma vez que não é recomendado colocar todo o seu capital em um mesmo ativo, pois tem a possibilidade de perder tudo o que você possui.

Além disso, quando observadas as possibilidades que a Bolsa de Valores oferece, é nítida a possibilidade de encontrar diversas outras maneiras de investir o seu dinheiro, assim construindo uma carteira diversificada, para que não dependa de um único ativo.

Quão útil foi este post?

Clique sobre a estrela para Avaliar o post

O que você achou do Post? Te ajudei?

Siga-nos nas redes sociais!

Deixe um comentário

Index